Antonio Bandeira - Catálogo Raisonné Parcial

2015 - em andamento

Depois de Tarsila do Amaral e Alfredo Volpi, a Base7 Projetos Culturais coordena a pesquisa e catalogação do pintor Antonio Bandeira (Fortaleza, CE, 1922 - Paris, França, 1967).

Antonio Bandeira é expoente de uma vertente abstrata que privilegia a gestualidade e a expressão da experiência poética.  Nascido no Ceará em 1922, aos 20 anos já participa da cena cultural de Fortaleza e aos 25 recebe bolsa do governo francês para estudar em Paris. Lá, o jovem artista entra em contato com o abstracionismo lírico. A gestualidade, já reconhecida nas suas primeiras figurações expressionistas, ganha destaque quando ele passa a se dedicar à abstração. Os títulos de suas obras evocam paisagens urbanas e cenas do cotidiano, abrindo caminho para interpretação lírica dessas composições.

A catalogação se debruçará sobre a produção do artista em pintura em qualquer suporte. O resultado deverá se converter  na publicação de dois volumes de 400 páginas com fotografia das obras, suas informações técnicas, dados históricos e bibliográficos, além de uma seleção das leituras consagradas e da recepção da crítica de época.

Um catálogo raisonné representa uma pesquisa que pretende esgotar e publicar tudo que há para saber sobre determinada produção. No mundo das artes visuais esse instrumento ganhou especial relevância por oferecer ao público inventários completos da obra dos artistas.  Aos pesquisadores permite, a um só tempo, uma visão panorâmica e um mergulho vertical em cada obra.

Todas as obras do artista serão inseridas em um sistema de banco de dados integrado especialmente desenvolvido para isso pela Base7. Esse método permite o cruzamento de diversas informações como histórico de procedência, fortuna crítica e seu percurso de exposições. Após a reunião desses dados, as fichas de cada obra seguem para análise de uma comissão técnica, composta por conhecedores da trajetória do artista e historiadores da arte. "O que interessa nesse primeiro momento é compor o quadro de referências e o histórico de cada obra que catalogamos, assim podemos aprofundar o conhecimento sobre a produção do artista e construir um consenso sobre que obras são passiveis de publicação" afirma Maria Eugênia Saturni, diretora da Base7 e museóloga que coordena esse projeto.

A Fundação Edson Queiroz, mantenedora da Universidade de Fortaleza (UNIFOR), é patrocinadora desta iniciativa bem como do Catálogo Raisonné de Leonilson com o qual a Base7 também contribui na organização e pesquisa. "A procura por fazer esse tipo de catalogação tem crescido, no Brasil e no mundo, como mais uma forma de se relacionar com o trabalho de um artista. É importante ver como temos aqui instituições interessadas nesse tipo de projeto" diz Ricardo Ribenboim diretor de planejamento da Base7.

Colecionadores e instituições que queiram apresentar suas obras para catalogação devem escrever para o e-mail catalogo.bandeira@base7.com.br enviando fotografias frente e verso das obras, suas dimensões e dados sobre a sua aquisição e procedência.